Por maior que seja, o pecado não passa de uma gota d'água no oceano da misericórdia infinita de Deus (Antonio Luiz Macêdo)..

terça-feira, 31 de julho de 2018

Terços -O terço missionário

Anim.: Rezemos o terço unidos à grande família cristã, espalhada por todo o mundo. Vamos pensar também nos continentes onde o Evangelho ainda não penetrou ou está sendo esquecido.
L1: O terço missionário que é de cinco cores diferentes, simboliza os cinco continentes, onde os missionários trabalham, sofrem e lutam para que a mensagem de Jesus seja conhecida por todos.
L2: Rezar o terço missionário é dar à oração um sentido católico, é se preocupar e rezar por todos, sem distinção.
Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
Anim.: Senhor Jesus, reunidos em teu nome, oferecemos este terço missionário para que, por intercessão de Nossa Senhora, abençoes e protejas a todos os que trabalham nas missões. Pedimos ainda, pelos que não conhecem a Jesus, pelos doentes e necessitados, pela nossa Diocese e pelas intenções do Santo Padre, o Papa.

1a DEZENA (COR VERDE)
Anim.: Neste primeiro mistério luminoso contemplamos o Batismo de Jesus. Vamos rezar pela África, terra das verdes florestas. É a terra mãe dos negros, inclusive dos antepassados da metade dos brasileiros. O povo da África está sofrendo muito pela miséria, fome, guerras e lutas entre tribos. O Islamismo é a maior religião na África. Neste continente a população católica é de 90 milhões e lá estão trabalhando quase quatrocentos missionários brasileiros, entre eles a Irmã Lia da Congregação das Servas Reparadoras que também está em Coromandel.
L1: “A exortação Apostólica Ecclesia in Africa constata: “Uma situação comum é, sem dúvida, o fato de a África estar saturada de problemas: em quase todas as nações existem situações de miséria espantosa, má administração dos poucos recursos disponíveis, instabilidade política e desorientação social. O resultado está à vista: desolação, guerras e desespero. Num mundo controlado pelas nações ricas e poderosas, a África tornou-se, praticamente, um apêndice sem importância, muitas vezes esquecida e abandonada por todos”(n. 40).
L2: A mesma Exortação presta uma homenagem aos missionários: “O crescimento esplendoroso e as realizações da Igreja em África devem-se, em grande parte, à dedicação heróica e desinteressada de gerações de missionários. Isto todos o reconhecem. A terra abençoada da África está literalmente semeada de sepulturas de valorosos arautos do Evangelho” (n. 35 ).
(Reza-se a dezena)
CANTO: Mãe do céu morena 

2ª DEZENA: (COR VERMELHA)
Anim.: Neste segundo mistério luminoso contemplamos as Núpcias de Caná. Vamos rezar pelas Américas. É a terra-mãe dos índios; terra vermelha de sangue de muitos genocídios e de muita opressão. Mais de 200 missionários brasileiros trabalham em outros países da América Latina. Nesse continente moram 45 % dos católicos do mundo.
L3: A Exortação Apostólica Ecclesia in America no seu n. 14 diz: “O maior dom que a América recebeu do Senhor é a fé que forjou sua identidade cristã. Já são mais de 500 anos que o nome de Cristo foi anunciado no continente”.
L4: A Exortação exalta ainda a piedade popular, a presença da Igreja no campo da educação e da ação social, o crescente respeito pelos direitos humanos. Chama a atenção para o fenômeno da globalização, o peso da dívida externa, a corrupção, o comércio e o consumo de drogas”.
(Reza-se a 2ª dezena)
CANTO: Mãe do céu morena 

3ª DEZENA (COR BRANCA)
Anim.: Neste terceiro mistério luminoso contemplamos o Anúncio do reino de Deus. Vamos rezar pela Europa. Deste Continente veio a maioria dos nossos antepassados. Quase 200 missionários brasileiros atuam na Europa. Lá está Roma, o centro do Cristianismo.
L5: Rezemos pela Europa, pelo Papa e para que os católicos desse continente assumam novamente suas responsabilidades na grande obra da evangelização.
L6: A Exortação Apostólica Ecclesia in Europa fala dos desafios e sinais de esperança para a Igreja na Europa: “Numerosos são os sinais preocupantes que inquietam, no início do terceiro milênio, o horizonte do continente europeu, o qual, apesar de estar na posse plena de imensos sinais de fé e testemunho, sente todo o desgaste que a história antiga e recente produziu nas fibras mais profundas dos seus povos, dando origem, muitas vezes, à desilusão”(n. 7).
(Reza-se a 3a dezena)
CANTO: Mãe do céu morena 

4ª DEZENA (COR: AZUL)
Anim.: Neste quarto mistério luminoso contemplamos a Transfiguração de Jesus. Vamos rezar pela Oceania. Lá moram 27 milhões de pessoas, espalhadas em 10.000 ilhas. O azul representa a cor dos mares. Uma dezena de missionários brasileiros trabalham na Oceania. As Igrejas Evangélicas são maioria na Oceania.
L7: A Exortação Apostólica Ecclesia in Oceania no seu número 17 descreve a situação atual do continente: “ Nos tempos recentes, a Igreja tem fomentado vigorosamente a inculturação da fé cristã. A tal respeito, o Papa Paulo VI, quando visitou a Oceania, reafirmou que “o Catolicismo não só não sufoca tudo o que existe de bom e de original em cada uma das formas da cultura humana, mas acolhe, respeita e valoriza as características de cada povo, revestindo assim de variedade e de beleza a única veste inconsútil da Igreja de Cristo”.
L8: E o Papa João Paulo continuou o pensamento de Paulo VI: “O Evangelho de Jesus Cristo fala todas as línguas. Estima e abraça todas as culturas. Apóia-as em tudo o que é humano e, quando necessário, purifica-as”.
(Reza-se a 4a dezena)
CANTO: Mãe do céu morena 

5ª DEZENA (AMARELO)
Anim.: Neste quinto mistério luminoso contemplamos a Instituição da Eucaristia.Vamos rezar pela Ásia, berço de grandes culturas e religiões, entre elas: o Hinduísmo, o Budismo e o Confucionismo. Lá ficam a China, o Japão, a Índia e também o Blangadesh. Mais da metade da população do planeta encontra-se na Ásia, mas somente 3% são católicos. 45 missionários brasileiros trabalham na Ásia.
L9: Rezemos pelos missionários que partem em missão para anunciar a Boa-Nova do Evangelho aos não cristãos.
Anim.: SALVE RAINHA...
LADAINHA: (L10)
Santa Maria Rogai por nós!
Santa Mãe de Deus ″ ″ ″
Filha predileta do Pai ″ ″ ″
Mãe de Jesus Cristo ″ ″ ″
Esposa do Espírito Santo ″ ″ ″
Do Papa, dos Bispos, Sacerdotes, Religiosos(as) Lembrai-vos que sois mãe, ó Maria!
Dos que servem vosso povo ″ ″ ″ ″ ″
Das nossas paróquias! ″ ″ ″ ″ ″
Das nossas Famílias e Comunidades ″ ″ ″ ″ ″
Dos que passam fome e estão abandonados ″ ″ ″ ″ ″
Dos que sofrem nas prisões ″ ″ ″ ″ ″
Dos doentes e daqueles que os assistem ″ ″ ″ ″ ″
Dos professores e estudantes ″ ″ ″ ″ ″
Dos seminaristas ″ ″ ″ ″ ″
Dos que trabalham no campo ″ ″ ″ ″ ″
Dos jovens e das vocações missionárias ″ ″ ″ ″ ″
Dos que trabalham pela justiça ″ ″ ″ ″ ″
Dos que trabalham nos Meios de Comunicação ″ ″ ″ ″ ″
Dos migrantes ″ ″ ″ ″ ″
Dos que ainda não receberam o anúncio do Evangelho ″ ″ ″ ″ ″
Rainha do Amor Rogai por nós!
Rainha da Esperança ″ ″ ″
Rainha da Paz ″ ″ ″
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus!
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!
OREMOS: Infundi, Senhor, nós vos pedimos, em nossos corações, a vossa graça, para que conhecendo pela anunciação do anjo, a Encarnação do vosso Filho, cheguemos por sua Paixão e Morte de Cruz à glória da Ressurreição. Pelo mesmo Cristo, Nosso Senhor. Amém!

Superdicas & Mil Ideias



Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:
Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)
Sou Catequista (busque em Artigos)

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Orações - 3. Oração pelos deprimidos


Amado Senhor, às vezes sinto-me tão deprimido que não consigo nem rezar. Por favor, liberta-me deste cativeiro. Eu te agradeço, Senhor, pelo Teu poder libertador e, no poderoso nome de Jesus, expulso de mim o maligno: espírito de depressão, de ódio, de medo, de autopiedade, de opressão, de culpa, de falta de perdão e qualquer outra força negativa que tenha investido contra mim. Eu os amarro e expulso em nome de Jesus.

Senhor, arrebenta todas as cadeias que me prendem, Jesus, peço-te que voltes comigo até o momento em que esta depressão me atacou e me libertes das raízes deste mal.

Cura todas as minhas lembranças dolorosas. Enceh-me com o Teu amor, a Tua paz, a Tua alegria. Peço-te que restaures em mim a alegria da minha salvação. Senhor Jesus, permite que a alegria jorre como um rio das profundezas de meu ser. Eu te amo, Jesus, eu Te louvo.

Traze ao meu pensamento todas as coisas pelas quais posso agradecer-Te.

Senhor, ajuda-me a alcançar-Te e a tocar-Te; a manter meus olhos postos em Ti e não nos problemas. Eu Te agradeço, Senhor, por me guiares até a saída do vale. É em nome de Jesus que suplico. Amém e Amém.
 
Catequese Católica

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:
Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)

domingo, 29 de julho de 2018

A Sagrada Liturgia – O Templo


O Templo - "A arte sacra deve caracterizar-se pela sua capacidade de exprimir adequadamente o mistério lido na plenitude de fé da Igreja" (Ecclesia de Eucharistia). Nossos templos, portanto, devem ser sinais inequívocos da nossa propria fé. O decoro, a harmonia, a beleza, mesmo nos edifícios mais austeros, tudo deve testemunhar a dignidade do culto que lá se celebra. Selecionamos, a seguir, as expressões pelas quais são conhecidas as principais partes do templo.



Hora da Missa

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:
Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)
Sou Catequista (busque em Artigos)

sábado, 28 de julho de 2018

Maria de muitos nomes - Nossa Senhora da Boa Hora


Este orago se parece muito com o de Nossa Senhora do Bom Sucesso, pois sua imagem é invocada, tanto para proteger os devotos no momento da morte, proporcionando-lhes uma “boa hora”, como para pedir à Mãe de Deus proteção para as mulheres grávidas, a fim de serem felizes em seus partos, tendo portanto uma “boa hora” ao darem à luz seus filhos.

Existem várias igrejas dedicadas a esta invocação no Nordeste do Brasil, sendo as mais famosas as de Aracaju e Maruim, em Sergipe, cuja festa é muito popular e o santuário de São Luís do Maranhão, fundado pelo ordenança Manuel de Azevedo, que mandou fazer também uma bela imagem de madeira para colocar sobre o altar-mor.

A respeito do início deste culto no Brasil, Frei Agostinho de Santa Maria conta que começou em Salvador. Havia em uma nau de mercadores, que fazia o trajeto entre a Bahia e a cidade do Porto, uma efígie de Nossa Senhora, no nicho da popa. Em uma viagem de volta a Portugal, devido a grande tormenta, o navio naufragou na barra do Porto, despedaçando-se nos rochedos.

A imagem foi dar à praia, rolando sobre as areias. Em uma “boa hora” saiu uma mulher em direção à mesma praia a fim de buscar alguma lenha, que o mar costumava jogar sobre a areia. 

Surpreendida, encontrou a estátua de Maria, que carregou como pode e levou-a para a sua casa. Pensando no que faria com ela, resolveu mandá-la para o Brasil, onde poderia vendê-la por um bom dinheiro. Conhecia na Bahia um senhor natural do Porto, Manuel Gonçalves dos Reis, e a ele remeteu a escultura para que a vendesse.

Ora, Manuel dos Reis era muito amigo de um padre agostiniano, Frei Bernardo da Conceição, que se interessou pela imagem, devido à sua semelhança com a Senhora da Boa Hora venerada em seu convento em Lisboa e por isso deu-lhe este titulo.

A sagrada efígie dos agostinianos descalços da capital portuguesa teve uma interessante história, narrada pelo citado historiador mariano Frei Agostinho, que pertencia àquele mosteiro. Dizia ele que o local fora anteriormente ocupado pelos padres irlandeses, fugidos de seu país em conseqüência das perseguições contra os católicos, em 1630, e depois pelos sacerdotes da Congregação do Oratório, de São Filipe Neri. Quando os agostinianos ali se estabeleceram, como não possuíam uma efígie de Maria para colocarem sobre o altar, recorreram aos devotos para emprestarem alguma, até que pudessem mandar fazer uma nova. Um dos paroquianos, Francisco Macrel, possuía uma bonita imagem em seu oratório c levou-a para a igreja. Quando lhe perguntaram o nome, disse que era Nossa Senhora da Boa Hora. Os padres acharam um bom presságio, julgando ser “boa hora” para a família descalça, e assim deram esse título ao convento, Fizeram mais tarde uma escultura nova e a velha foi colocada na sacristia, onde era muito venerada pelas senhoras da nobreza, que a tomaram como madrinha de seus filhos e lhe faziam novenas pedindo felizes sucessos em seus partos.

O título de Nossa Senhora da Boa Hora despertou interesse por parte dos portugueses, que já o conheciam em templos de sua terra natal, apesar da disputa com os devotos de Cachoeira, que desejavam levar para sua vila a imagem encontrada na praia do Porto, Frei Bernardo da Conceição conseguiu que seus amigos de Salvador adquirissem a efígie, para que ela não saísse daquela cidade.

A devoção divulgou-se tanto, que em 1689 foi constituída a irmandade, que festejava sua padroeira no dia da Assunção, com grande festa. Provavelmente alguns membros desta confraria levaram seu culto para o Maranhão e para Sergipe, onde Nossa Senhora da Boa Hora é venerada não só pelas futuras mães, que desejam assegurar a vida terrena de seus filhos, como por todos aqueles que imploram a proteção da Virgem Maria para defendê¬-los em sua última hora, encaminhando-os à glória de Deus.

A12.com



Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:
Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)
Sou Catequista (busque em Artigos)