Por maior que seja, o pecado não passa de uma gota d'água no oceano da misericórdia infinita de Deus (Antonio Luiz Macêdo)..

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Aprendendo com historinhas -


O menino voltou-se para a mãe e perguntou:
- Os anjos existem mesmo? Eu nunca vi nenhum.
Como ela lhe afirmasse a existência deles, o pequeno disse que iria andar pelas estradas, até encontrar um anjo.
- É uma boa idéia, falou a mãe. Irei com você.
- Mas você anda muito devagar, argumentou o garoto. Você tem um pé machucado.

A mãe insistiu que o acompanharia. Afinal, ela podia andar muito mais depressa do que ele pensava. Lá se foram. O menino saltitando e correndo e a mãe mancando, seguindo atrás. De repente, uma limusine brilhante apareceu na estrada e parou perto deles, na frente de um belíssimo chalé. O menino viu, dentro do carro, uma dama linda, envolta em veludos e sedas, com plumas brancas nos cabelos escuros. As jóias eram tão brilhantes que pareciam pequenos sóis.

O menino aproximou-se da janela aberta da limusine  e perguntou à senhora:
- Você é um anjo?
Ela nem respondeu. Resmungou alguma coisa enquanto a limusine entreva na propriedade pelo portão, aberto por um moço de uniforme. Ao fazer a curva o tubo de escape cuspiu fumaça e as rodas levantaram muita poeira atingindo os olhos e a boca do menino. Ele esfregou os olhos e tossiu bastante. Então, chegou sua mãe e limpou toda a poeira, com seu avental de algodão azul.
- Ela não era um anjo, não é, mamãe?
- Com certeza, não. Mas um dia poderá se tornar um, respondeu a mãe.

Mais adiante uma jovem belíssima, em um vestido branco, encontrou o menino. Seus olhos eram estrelas azuis e ele lhe perguntou:
- Você é um anjo?
Ela ergueu o menino em seus braços e falou feliz:
- Uma pessoa me disse ontem à noite que eu era um anjo.
Enquanto acariciava o menino e o beijava, ela viu seu namorado chegando. Mais do que depressa, colocou o garoto no chão. Tudo foi tão rápido que ele não conseguiu se firmar bem nos pés e caiu.
- Olhe como você sujou meu vestido branco, seu monstrinho! Disse ela, enquanto corria ao encontro do seu amado.

O menino ficou no chão, chorando, até que chegou sua mãe e lhe enxugou as lágrimas com seu avental de algodão azul.
Aquela moça, certamente, não era um anjo. O garoto abraçou o pescoço da mãe e disse estar cansado.
- Você me carrega?
- É claro, disse a mãe. Foi para isso que eu vim.

Com o precioso fardo nos braços, a mãe foi mancando pelo caminho,  cantando a música que ele mais gostava. Então o menino a abraçou com força e lhe perguntou:
- Mãe, você não é um anjo?
A mãe sorriu e falou mansinho:
- Imagine, nenhum anjo usaria um avental de algodão azul como o meu. 

Autor desconhecido

 Muraljoia


Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo:

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Os Papas da Igreja – São Sotero


Número: 12

Início do pontificado: 166

Final do pontificado: 175

Nacionalidade: Romano (Italiano)

Tempo de pontificado: 8 ou 9 anos  (c)

Nome em latim: Soterus

Notas: Canonizado

Resumo: Sotero foi o 12º papa da Igreja cristã romana entre 166 e 174.

Wikipédia: a enciclopédia livre

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

terça-feira, 19 de junho de 2018

Terçõs - Terço da Divina Chama

 Faz-se o sinal-da-cruz e reza-se o Credo e três Ave-Maria

NAS CONTAS GRANDES: Rezar o PAI-Nosso. 

NAS CONTAS PEQUENAS: Vinde, Espírito, sede a nossa força e o nosso entendimento. 

AO FINAL: Vinde, Espírito Santo, fazei de nós receptáculos de Vossos dons, para que possamos fornecer a nossos irmãos o caminho seguro nestes tempos confusos. Em nome do Pai, do Filho e pelo Espírito Santo. Amém.

Superdicas & Mil Ideias


Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Orações - Oração para ver a vida com otimismo

Deixe-se guiar pela luz, representada pela esperança e pelo amor. Ilumine-se com ela, não deixando nenhum resquício de trevas em seu caminho.
Querido Deus, meu Pai e Senhor,
Quero ver a vida com otimismo, preencher-me de esperanças, estar atento para o que é belo e positivo, frear as tristezas e negatividades, ser inteligente o mais que possa.

Como fruto dessa intenção, certamente me resultará a compreensão de mim mesmo, dos outros e do porquê do meu existir. Mercê de Tuas bênçãos, Pai, todos aqui estamos para amar, progredir e ser feliz.

As vicissitudes que agora enfrento, vejo-as com razão de ser, ligadas que estão aos meus hábitos antigos. Mas, quero reiniciar, colocar no meu peito uma chama de amor que não se apague, que ilumine o meu íntimo e o dos outros. Com o entendimento de mim mesmo e uma visão positiva de mundo, mais fácil me será caminhar para a felicidade.

Agradeço-Te, Pai, a compreensão e as esperanças que agora adquiro.

Obrigado, Deus, muito obrigado!
Assim seja!
 
Catequese Católica



Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo

domingo, 17 de junho de 2018

A Sagrada Liturgia – Cores Litúrgicas: Branco




As cores litúrgicas variam de acordo com o tempo litúrgico ou a solenidade que se celebra. As cores aparecem nas vestes do sacerdote e do diácono, na toalha do altar e do ambão e, eventualmente, nas cortinas colocadas atrás do altar (onde houver).

Branco - simboliza a paz, a vitória, a ressurreição, a pureza e a alegria. É utilizado na Quinta-feira Santa, na missa solene da Vigília Pascal do Sábado Santo e em todo o Tempo Pascal. Também é usado no Natal, nas festas dos santos não mártires e nas festas do Senhor, com exceção da Sexta-Feira Santa.



Hora da Missa

Leia as obras de Antonio Luiz Macêdo